inscrição online

História de Arte em Portugal

Programa para 2016/2017

Módulo 1 - Professora Doutora Margarida Calado
(2ª feira das 18h30 às 20h30)

 

IDADE MÉDIA

  1. A Presença islâmica em Portugal.

  2. A arte pré-românica.

  3. Românico:

    1. As catedrais.

    2. Românico monástico-rural.

    3. Escultura, iluminura e artes decorativas.

  4. Gótico:

    1. A catedral de Évora na transição do românico para o gótico.

    2. O mosteiro de Alcobaça.

    3. As ordens mendicantes e a difusão do gótico em Portugal.

    4. A dinastia de Avis. O mosteiro da Batalha.

    5. Outros edifícios religiosos e civis ligados à nova situação política.

    6. A pintura: Nuno Gonçalves.

    7. Escultura, iluminura, vitral e artes decorativas.

  5. O final do século XV e o início do século XVI:

    1. D. João II e a vinda de Andrea Sansovino a Portugal.

    2. O manuelino a nível da arquitectura e decoração arquitectónica. Uma arquitectura nacional com arquitectos de origem estrangeira.

    3. A pintura na 1ª metade do séc. XVI: presença flamenga (Francisco Henriques e Frei Carlos). Os grandes pintores ligados à Corte: Jorge Afonso, Gregório Lopes, Cristóvão de Figueiredo e Garcia Fernandes). A oficina de Viseu: Grão Vasco.

    4. As artes decorativas – azulejo, iluminura e ourivesaria.

  6. Renascimento e maneirismo.

    1. Humanismo e renascimento em Portugal.

    2. Francisco de Holanda – arquitecto, teórico e iluminador.

    3. A Contra-Reforma e a sua influência na arte portuguesa.

    4. A Companhia de Jesus e o novo modelo arquitectónico, do Espírito Santo de Évora e de S. Roque de Lisboa.

    5. A importância de S. Vicente de Fora como fundação régia.

    6. A pintura maneirista na 2ª metade do séc. XVI.

  1. O século XVII:

    1. A continuidade da arquitectura de tradição maneirista: o estilo chão.

    2. A nova decoração arquitectónica: talha e azulejo.

    3. A pintura: as origens do barroco – de Josefa de Óbidos a Bento Coelho da Silveira.

    4. A escultura em madeira e em barro – imagem da devoção religiosa e da expressividade barroca.

    5. Importância da arquitectura militar na época da Restauração.

    6. Os inícios da arquitectura barroca a nível religioso e civil. João Antunes.

    7. A chegada a Portugal de artistas estrangeiros no reinado de D. Pedro II.

  2. O reinado de D. João V – a explosão do barroco.

    1. As grandes obras de fundação Régia: Menino Deus, Mafra e a Patriarcal.

    2. Importância do mecenato de D. Tomás de Almeida como bispo de Lamego, do Porto e como Cardeal Patriarca.

    3. Arquitectura civil e obras públicas (o Aqueduto). Importância dos engenheiros portugueses e de Carlos Mardel.

    4. A chegada a Portugal de Nicolau Nasoni e a sua importância no Barroco do Norte.

    5. A escultura no período joanino:

      1. Claude Laprade e a escultura de influência francesa.

      2. A talha joanina e a escultura em madeira.

    6. A pintura sob a égide da Corte: Duprà e Pierre Antoine Quillard. Vieira Lusitano e a formação em Roma.

    7. A azulejaria joanina: o período dos grandes mestres e a grande produção.

    8. A influência do rococó no final da época joanina.

  3. A segunda metade do séc. XVIII:

    1. O Norte do País – a continuidade do barroco nasoniano e a influência do rococó germânico e francês: arquitectura, talha e azulejo.

    2. O Terramoto de 1755 e o plano de reconstrução de Lisboa. Os grandes protagonistas: Manuel da Maia, Eugénio dos Santos e Carlos Mardel.

    3. Arquitectura religiosa no contexto pós-terramoto.

    4. O Palácio de Queluz, no contexto pré e pós terramoto.

    5. A escultura na 2ª metade do séc. XVIII – Machado de Castro como escultor, teórico e professor.

    6. Os grandes pintores do final do século XVIII – inícios do século XIX – Vieira Portuense e Domingos Sequeira.

    7. O ensino artístico e as tentativas de fundação de uma Academia. Pina Manique.

    8. A obra da Ajuda, última grande obra régia. O neoclassicismo.