inscrição online

História da Arte em Portugal

Programa para 2016/2017
Módulo 2 – Professora Doutora Cristina Azevedo Tavares
(2.ª feira das 18h30 às 20h30)

 

O século XIX

1. O romantismo versus classicismo. A fundação da Academia de Belas-Artes (1836).

O modelo de ensino clássico e a revolta dos artistas românticos.

1.1. O romantismo na pintura, escultura e arquitectura.

2 . As Conferências do Casino e a defesa da arte realista.

2.1. O realismo na pintura com Miguel Ângelo Lupi.

3. O naturalismo: herança e novidade. Os teóricos e os críticos do naturalismo.

3.1. A importância da acção do Grupo do Leão.

3.2. Autores e obras relevantes na primeira e segunda gerações naturalistas: Silva Porto; Pousão; Columbano; Malhoa e Carlos Reis. Aurélia de Sousa e Josefa Greno.

3.3. As instituições de artistas.

4. A arte nova: a arquitectura e as artes decorativas. O modelo de Korrodi. Autores e obras relevantes.

4.1. Rafael Bordalo Pinheiro: a ilustração, a caricatura, a cerâmica e o azulejo. A Fábrica Real de Cerâmica das Caldas da Rainha.

 

O século XX

5. Caracterização dos modernismos: concepções e práticas. Modernismo e vanguarda. A influência internacional. A persistência do naturalismo.

5.1. Paris e a ruptura com a academia: a Exposição dos Independentes (1911).

5.2. O Grupo Orfeu: Santa-Rita, Amadeo e Almada. As ligações com o futurismo e o cubismo órfico (Delaunays).

5.3. Anos 20: Os humoristas e modernistas: a ilustração como veículo de modernidade.

6 . Anos 30 e 50: A "política do espírito" de António Ferro: uma filosofia cultural ao serviço do estado novo e um programa de intervenção, seus valores e instrumentos.

6.1. A Exposição do Mundo Português e a exaltação do grande império português.

6.2. As Exposições de Arte Moderna do SPN/SNI. Artistas, obras e prémios.


7. Oposições e margens: o MUD e as Exposições Gerais de Artes Plásticas: o neo-realismo. Autores e obras. (Júlio Pomar, ARCO, Maria Keil, Vespeira, Maria Barreira)

8. A obra pública de Almada Negreiros.

9. Margens e oposições: o surrealismo e os dois grupos surrealistas: "Os Surrealistas de Lisboa" e os "Surrealistas". Antecedentes e desenvolvimentos. As exposições surrealistas, autores e obras. 1952: A exposição na casa Jalco.

10. Do surrealismo ao abstraccionismo lírico .

11. O Abstraccionismo geométrico: antecedentes e cultores. O papel da Galeria de Março na defesa do abstraccionismo. O Salão de Arte Abstracta (1954).

12. Vieira da Silva: uma portuguesa na escola de Paris e a questão do abstraccionismo.

13. Os anos 60-70: o desenvolvimento do mercado da arte; a proliferação e renovação dos movimentos artísticos.

13.1. A acção do grupo KWY: "cá vamos indo".

14. "A revolução dos cravos" e a arte de intervenção: "A arte fascista faz mal à vista".

14.1. Ernesto de Sousa e a Alternativa Zero (1977): o modelo de Kassel e a possibilidade da vanguarda.

15. Repensar a identidade de Portugal: um programa para os anos 80.

 

(Uma folha com bibliografia será distribuída na primeira aula)