Exposição

Ela

11 Abr 2019 -
 04 Mai 2019

Um eixo fundamental no meu trabalho é o da relação com a realidade. “Ela” é a realidade e também a natureza, a ilusão, a ficção, a narrativa poética, a voz feminina. Há assim um húmus que vem de trás, no processo criativo, com a vida pessoal, o que acontece comigo e à volta, o que vejo e leio, claro que com entradas de muitos campos, desde as notícias à literatura e poesia, ao cinema. Na série do Dilúvio, de 2001, bastante presente nesta exposição, há a narrativa bíblica mas também a sociedade das imagens e uma resposta catártica a uma crise pessoal, mas é o que vi das inundações de Moçambique em 2000 que marca a procura de uma tela algo lamacenta em que o gesto rápido do desenho grava sinais.

Diria que estes sinais gravados na “tela lamacenta” (uma outra imagem poderia ser a do bloco de cera, como era visualizada a memória na Grécia antiga), são sinais no duplo sentido da palavra: são traços e sintomas que inscrevem o presente no passado mas também são presságios ou diagnósticos do futuro. Como quando viajamos, especialmente de comboio, geramos uma sequência de memórias e imagens que sobrepõem tempos e velocidades. Talvez também seja este duplo movimento backwarde forwardque a exposição propõe. E, nem de propósito, Viagemé o título da exposição individual que apresentaste na Sociedade Nacional de Belas Artes, em 1985. Desenhando uma elipse ainda mais larga, também tu estás de volta a este lugar, regressada de viagem.

Excerto deum diálogo entre Isabel Sabino e Maria do Mar Fazenda

 

A Sociedade Nacional de Belas Artes apresenta a exposição individual “Ela”, de Isabel Sabino, com curadoria de Maria do Mar Fazenda. A exposição reúne trabalho recente assim como apresenta um percurso pela carreira da artista. Sendo o foco maior a sua pintura, são também apresentadas séries de desenho sobre papel.

Isabel Sabino (n. 1955, em Lisboa) centra a sua prática na pintura e no desenho desde a segunda metade dos anos 70. Pontualmente, também produziu obras com outros materiais, adoptando um teor escultórico próximo da instalação. A presente exposição aborda as práticas da pintura e do desenho de modo a mapear um percurso que desenha ligações entre diferentes corpos de trabalho. A mostra organiza-se em torno da série de pinturas de grandes dimensões e do conjunto de desenhos produzidos entre 2018 e 2019. O trabalho mais recente é acompanhado por um itinerário composto por obras antigas cuja apresentação, em alguns casos, é agora feita pela primeira vez. A exposição intitulada “Ela” congrega o modo como a pintora tem incorporado diferentes forças (pessoais, políticas, históricas) para actualizar o próprio meio da pintura. Por ocasião da exposição será publicado um catálogo com reproduções das obras expostas, integrando também trabalhos não apresentados mas que completam ou são convocadas por obras na exposição. A publicação inclui também um ensaio de Carlos Vidal, um diálogo entre a artista e a curadora e um texto escrito pela artista.

o artista
Isabel Sabino
Galeria de Fotos